É uma doença que ocorre devido a uma alteração de dois genes responsáveis pela produção de hemoglobina, que é uma proteína que se encontra dentro das hemácias, responsável pela função de transportar oxigênio.


Devido a esta alteração genética, ao invés de produzir a hemoglobina “A” é produzida a Hemoglobina “S”, que não faz a função de transporte corretamente, e enrijece-se em algumas situações, como falta de oxigênio.


Quando isso acontece, a hemácia se deforma, adquirindo o formato de uma meia-lua, ou uma foice e a torna mais rígida, o que dificulta sua passagem pelos vasos e compromete a circulação e oxigenação dos tecidos.


As hemácias falciformes são mais frágeis e têm uma vida mais curta, sendo rapidamente destruídas, causando assim a hemólise. A anemia falciforme já pode ser diagnosticada na primeira semana de vida do paciente, através do teste do pezinho, e geralmente não tem cura, sendo necessário tratamento ao
longo de toda a vida do paciente.


Geralmente, os pacientes com anemia falciforme necessitam de transfusões sanguíneas ao longo de toda sua vida, e infelizmente são bons respondedores e se alo-imunizam com facilidade.


Para prevenirmos este tipo de situação, é recomendado que estes pacientes sejam fenotipados antes de receberem a primeira transfusão e sempre receber bolsas selecionadas.


Juntos podemos fazer o melhor pela qualidade de vida dos nossos pacientes ♥